Agroindústria Familiar é tema de seminário durante a Expo São Luiz

Agroindústria Familiar é tema de seminário durante a Expo São Luiz

expo sao luizAlém do espaço de exposição, a agroindustrialização familiar permeou a discussão de Seminário Regional inserido na programação da Expo São Luiz, em São Luiz Gonzaga. O evento, promovido pela Emater/RS-Ascar e Fetag/RS, com apoio da APL Missões-Agroindústria e UERGS, reuniu agricultores e lideranças de diferentes pontos da região, na última sexta-feira (02/10).

O gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luiz Nelmo de Menezes Vargas, destacou que “este foi um evento realizado, mais uma vez, graças às parcerias firmadas entre as diferentes instituições. Seminários assim apresentam informações que podem contribuir econômica e socialmente com as famílias rurais. Para manter a juventude no campo é preciso renda”, enfatizou.

O diretor do Departamento da Agricultura Familiar e Agroindústria da Secretaria de Desenvolvimento Rural, Pesca e Cooperativismo (SDR), Dionatan Tavares, explicou o funcionamento e os benefícios do Programa Estadual de Agroindústria Familiar. “Quando a produção não é destinada ao autoconsumo, mas à comercialização, ela passa a ser de interesse público e das administrações, desde a questão tributária, sanitária, ambiental e previdenciária, por isso da importância de legalizar, atendendo às necessidades e os interesses de todos os integrantes da cadeia”. A agroindústria familiar também está vinculada ao trabalho em família, resgate da história e tradição da agricultura familiar, agregação de valor, diversificação da produção e protagonismo do rural.

Já o assistente técnico regional da Emater/RS-Ascar, na área de organização econômica, Fernando Berwanger, falou sobre a agroindústria familiar na região das Missões, destacando que “o produtor ao sair da porteira passa a assumir um novo mundo, precisa entender não apenas a produção, mas compreender toda a cadeia produtiva até chegar ao consumidor”. Na região das Missões há 183 agroindústrias cadastradas no Programa Estadual de Agroindústria e na Fronteira Noroeste, 143 empreendimentos.

Já a secretária geral da Fetag, Elisete Hintz, abordou a legislação trabalhista e previdenciária de agroindústrias, reiterando a visão sindical da aposentadoria dos agroindustrializadores.

Ao final do encontro houve espaço para debate, coordenado pelo presidente da Fetag, Carlos Joel da Silva. A coordenadora do curso superior de Tecnologia em Agroindústria da Uergs, Fernanda Leal Leães, colocou a universidade e o curso à disposição para aqueles que desejam construir conhecimento e buscar formação na área. Já o coordenador da APL Missões, José Roberto de Oliveira, destacou que a região perde em torno de R$ 2,5 milhões por dia comprando alimentos de outras regiões, sendo que há potencial para se organizar e aproveitar esse mercado.

Entre as demais autoridades presentes estiveram o prefeito de São Luiz Gonzaga, Junaro Rambo Figueiredo, gerente regional da Emater/RS-Ascar, Luiz Nelmo de Menezes Vargas, e gerente adjunto, José Vanderlei Waschburger, presidente da Fetag/RS, Carlos Joel da Silva, presidente da Expo São Luiz, Sérgio Torres, e assistente técnico regional de supervisão da Emater/RS-Ascar, Joney Cristian Braun.

Assessoria de Imprensa da Emater/RS-Ascar – Regional de Santa Rosa
Jornalista Deise Froelich

← Aberta oficialmente a colheita do trigo no RS Soja: Com movimento de recuperação, mercado tem 2ª feira de ligeiras altas em Chicago - Via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui