Veja como os principais alimentos da ceia de Natal são nutridos | Agrocampo | Notícias do campo, agronegócio, tecnologias e produção agrícola

Veja como os principais alimentos da ceia de Natal são nutridos

Veja como os principais alimentos da ceia de Natal são nutridos

Final de ano é sinônimo de confraternização, festas e mesa farta. A ceia de natal é um momento clássico nos lares brasileiros, onde se colocam os alimentos à disposição dos presentes e alguns deles sempre ganham destaque nesta época do ano. Mas, até chegar à mesa, existe um caminho importante a ser percorrido.

A fim de explicar como a nutrição colabora para que a ceia de Natal esteja viçosa, a Yara, empresa líder em nutrição de plantas, reuniu alguns de seus especialistas para falarem sobre como a adubação correta em todas as etapas do desenvolvimento produtivo garante comidas mais saborosas e nutritivas.

Aves:

Grandes estrelas da ceia, as aves têm o papel de prato principal e são preparadas de inúmeras formas. Criado em condições ambientais para o melhor bem-estar e conforto, o frango que chega à mesa é alimentado sob rígido controle nutricional, com rações balanceadas a base de milho e farelo de soja, vitaminas e minerais, dentre eles, o fosfato.

“O fosfato produzido pela Yara e que chega às integradoras produtoras de frango no Brasil tem altíssimo grau de qualidade, sem contaminantes, e é a fonte mais adequada de fornecimento de dois dos principais nutrientes: o cálcio e o fósforo. Ingredientes que são a base da estrutura muscular e do esqueleto do animal”, afirma Alysson Polzonoff, gerente de Nutrição Animal da Yara.

Frutas:

No Brasil, o Natal é celebrado durante o verão e as temperaturas elevadas sugerem a ingestão de mais frutas, tanto em suas versões in natura,quanto no preparo de sobremesas. Selecionamos três das mais consumidas: uva, morango e ameixa.

Na etapa de nutrição dessas frutas, o cálcio é o responsável por manter a estrutura uniforme e resistente das células das plantas, garantindo maior sanidade e qualidade para os frutos tão desejados. “A falta de cálcio prejudica o crescimento tanto aéreo quanto das raízes, produzindo frutos moles, deformados e sem qualidade. Desta forma, ele é o principal responsável por garantir frutas com maior vida de prateleira, mais crocantes e saborosas”, explica Rafael Val, especialista agronômico da Yara.

Nozes:

As nozes verdadeiras são frutas secas, sendo as mais conhecidas: amêndoa, pecã, castanha-do-pará, castanha-de-caju, pistache, avelã, macadâmia, noz e castanha. São alimentos que também aparecem na composição de diversos pratos ou para consumo direto. Diferentes técnicas agronômicas são empregadas e recomendadas para o plantio e cultivo das diferentes espécies de castanheiras.

“A prática da nutrição do pomar assume importância fundamental para garantir crescimento adequado como também fornecer os nutrientes minerais essenciais. Antes da instalação do pomar, caso haja diagnóstico de acidez do solo, recomenda-se aplicação de calcário dolomítico, elevando a saturação por bases para 70%, seguindo com a aplicação de fertilizantes, que é realizada na cova de plantio, com aplicação de produtos orgânicos (estercos) e minerais, contendo principalmente fósforo e potássio”, ressalta Eduardo Saldanha, também especialista agronômico da Yara.

Ele salienta que a recomendação após o plantio e início das brotações é a aplicação de nitrogênio, a cada 40 dias, em doses que podem varias de 10 a 15 gramas por planta e na fase de desenvolvimento de aplicações foliares de micronutrientes, como o zinco, cobre, boro, manganês, também são recomendadas. “Durante os cinco primeiros anos é importante destacar que as doses e as recomendações de fertilizantes devem ser definidas em função do estado nutricional do pomar e da expectativa de produtividade. É importante que os produtores consultem sempre um engenheiro Agrônomo, para interpretar os resultados das análises, fazer o cálculo das adubações e orientar sobre a forma mais segura e racional na utilização desses insumos”, reforça Saldanha.

Trigo:

Esse é um dos componentes mais importantes na confecção de pães, bolos e os famosos panetones. Para que ele esteja em perfeitas condições para a composição desses alimentos é preciso optar sempre por fertilizantes nitrogenados de alta tecnologia, com o objetivo de maximizar a produtividade e a qualidade.

“Sabemos que o nitrogênio é o nutriente absorvido e exportado pelos grãos de trigo em maior quantidade, 1,7kg e 1,4kg, respectivamente, para cada saco produzido, e que suas funções estão diretamente ligadas à qualidade e à produtividade da cultura. E ele deve ser fornecido em equilíbrio com o enxofre para uma maior formação de proteínas, as quais determinam a qualidade das farinhas”, explica Diego Guterres, especialista Agronômico da Yara.

Uma excelente estratégia de manejo da adubação nitrogenada do trigo via solo é o uso de fertilizantes a base de nitrato de amônio e com enxofre disponível ajustados aos requerimentos da cultura. Essa tecnologia de alta eficiência agronômica (perdas insignificantes de nitrogênio por volatilização) pode ser complementada pela aplicação de nitrogênio e de enxofre, via foliar, garantindo o teor de proteína necessário para alta qualidade industrial do trigo.

← Chuvas do verão de 2018 deverão garantir a produção agrícola Koppert e BUG criam a maior empresa de Controle Biológico da América Latina →

Deixe seu comentário aqui