Biológicos: alternativa eficaz para o combate de nematoides

Biológicos: alternativa eficaz para o combate de nematoides

Biológicos: alternativa eficaz para o combate de nematoidesA soja [Glycine max (L.) Merril] é o grão mais importante produzido sob cultivo extensivo no Brasil. O Brasil é o segundo maior produtor mundial de soja, sendo o Mato Grosso o maior produtor nacional com produção em torno de 27 milhões de toneladas, aumentando a cada ano a área cultivada.

Com a expansão da cultura, novos problemas surgiram, dentre eles as doenças causadas por nematoides. Mais de 100 espécies de nematoides, envolvendo cerca de 50 gêneros, foram associadas a cultivos de soja em todo mundo. No Brasil, as espécies que provocam os maiores danos têm sido as formadoras de galha (Meloidogyne spp.), o de cisto (Heterodera glycines), o das lesões (Pratylenchus brachyurus) e o reniforme (Rotylenchulus reniformis).

O nematoide das lesões radiculares (P. brachyurus) posiciona-se como o grupo mais importante de nematoides à agricultura brasileira. A distribuição geográfica de P. brachyururs é ampla, parasitando várias culturas como soja, aveia, milho, milheto, girassol, cana-de-açúcar, algodão, amendoim e alguns adubos verdes. Além de se hospedar em plantas cultivadas, parasitam até mesmo plantas daninhas que permanecem presentes no campo durante a entressafra, dificultando assim, a eficiência dos programas de rotação com culturas não hospedeiras.

>>Leia também: A era das biológicos e o aumento da sua produtividade

Resultados de pesquisa realizados pela Universidade de Passo Fundo e apresentados no CBN 2015 mostraram que as maiores incidências de nematoides estão para os das espécies Meloidogyne spp. com 33,3%, seguido da Pratylenchus spp. e da H. glycines com 30,3% e a R. reniformis com 12,1% das amostras coletadas em diferentes regiões do Estado Gaúcho. O controle químico tem sido basicamente a única medida de controle adotada no combate desse parasita de plantas.

Porém, a quimioterapia no manejo de nematoides é de uso limitado, considerando-se o alto custo, a baixa eficiência na aplicação e o forte impacto ambiental dos nematicidas em extensas áreas de solo. Nesse sentido, as pesquisas alternativas empregadas no controle de fitonematoides e outras pragas têm buscado o desenvolvimento e disponibilidade de produtos mais saudáveis e sem resíduos. Neste contexto, insere-se o controle biológico por meio de micro-organismos representando uma das técnicas mais promissoras.

Pesquisadores de instituições renomadas como a Embrapa, Universidades e Institutos de pesquisa agropecuária demonstram a importância de tecnologias biológicas para o controle dos nematoides da soja em diversos trabalhos científicos e notas à comunidade agrícola. Os mesmos destacam que a falta de produtos menos poluentes e sustentáveis faz com que o agricultor não tenha alternativa e acabe tendo que lançar mão de produtos químicos que, além de muitas vezes serem ineficientes, afetam de forma negativa a saúde humana e do meio ambiente.

Artur Soares – Doutor em Agronomia, Gerente de Pesquisa da Simbiose

← Nova alternativa para fornecimento de enxofre à cultura da soja Bayer e Monsanto criarão líder global na agricultura →

Veja quem comentou

  1. Cassius Cervi
    04/11/2016 at 14:12

    Qual seria o tratamento biológico?


Deixe seu comentário aqui