Biotrigo apresenta novidades para a próxima safra

Biotrigo apresenta novidades para a próxima safra
Biotrigo apresenta novidades para a próxima safra

Dia de campo da Biotrigo foi realizado para dar suporte técnico aos clientes e técnicos dos estados do Paraná, São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Distrito Federal e Paraguai.

Nos últimos três anos a produção do trigo avançou mais de 80% no Paraná. Melhora na performance de cultivares, na qualidade industrial, mercado amplo e rotação de culturas visando entre outros pontos um apoio no controle de ervas daninhas nas culturas de verão, foram algumas das motivações que levaram os produtores a cultivarem o cereal. Segundo a Cohab (Companhia Nacional de Abastecimento), a área plantada no Estado passou de 774 mil hectares em 2012 para 1.340.000 de hectares em 2014. Nesta safra de 2015, a perspectiva é manter a área plantada de trigo, ficando em 1.320.000 de hectares. Com a preocupação de atender o mercado – tanto moageiro, o qual busca boa qualidade industrial e estabilidade desta, como para o triticultor, que mesmo atento ao mercado comprador, tem como foco a produtividade e resistência às doenças, especialmente as de difícil controle – a Biotrigo Genética, investe pesado no desenvolvimento de novas cultivares, na busca constante em atender as mais diversas demandas apresentadas, trazendo neste ano como grande destaque o TBIO Sossego. A cultivar foi apresentada a cerca de 250 sementeiros e técnicos no dia de campo da Biotrigo, realizado nesta quarta-feira (12) na cidade de Apucarana (PR). Segundo o Gerente Regional Norte da Biotrigo Genética, Fernando Michel Wagner, os participantes puderam conferir na prática, o desempenho das cultivares já disponíveis para o mercado, como TBIO Toruk e principalmente do lançamento TBIO Sossego – que chega aos multiplicadores em 2016. O tour ainda incluiu diversas linhagens, potenciais lançamentos para os próximos anos e as primeiras cultivares de ciclo superprecoce do portfólio TBIO.

Com um ótimo pacote fitossanitário, Sossego tem foco em menores investimentos e até mesmo, em anos em que os insumos possuam custos mais elevados, visto que apresenta sanidade superior as cultivares já lançadas no Brasil. Também se destina ao público que possui dúvidas quanto a semear ou não a cultura.  “TBIO Sossego possui W (Força de Glúten) médio de 308, apresenta bom perfilhamento, elevada resistência à debulha natural e chuva em pré-colheita, ampla adaptação, com estatura e ciclo médios, tendo como grande destaque o alto nível de resistência à ferrugem da folha, ao complexo de manchas foliares e doenças de espiga, merecendo destaque a reação no que diz respeito à bacteriose, a qual teve presença marcante nesta safra”, afirma Wagner.

No campo, confirmando as expectativas dos multiplicadores, vem apresentando grandes diferenciais, destacando-se frente a doenças como a Brusone. “Sossego se adapta a várias épocas de semeadura. Nesse ano de pressão de Brusone se diferenciou nas primeiras, especialmente nas regiões 2 e 3 do Paraná. Essa característica flexibiliza o planejamento da lavoura através de uma possibilidade diferenciada no escalonamento de semeadura, apresentando nível de resistência à Brusone, semelhante a cultivar TBIO Mestre, até então referência na reação a esta doença. Além disso, mantém excelente nível quanto a resistência à germinação da espiga nas épocas mais tardias onde a probabilidade de chuvas aumenta no período de colheita”, orienta o gerente da Biotrigo.

Sobre a Biotrigo Genética
Fundada em 2008, a Biotrigo Genética traz na bagagem um programa de melhoramento genético com mais de duas décadas e vêm incorporando as mais modernas tecnologias às cultivares Biotrigo (TBIO), com o objetivo de levar qualidade, tecnologia, segurança e maiores rendimentos ao produtor e a toda cadeia. O Analista Comercial Bruno Alves, explica que a empresa se localizada em Passo Fundo, região Norte do Rio Grande do Sul, mas possui filial em Campo Mourão, no Paraná, atendendo desta forma diversos estados do território brasileiro, países do Mercosul como Argentina, Uruguai e Paraguai além dos Estados Unidos da América. “A diversidade genética apresentada pelo nosso banco de Germoplasma, possibilita apresentar cultivares que se adaptem as mais diversas condições oferecidas por todos estes locais, mostrando a capacidade de adaptação dos TBIOs em ambientes e anos diferentes¨, observa Bruno.

Atualmente a empresa é detentora de aproximadamente 90% de market share no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, mais de 50% no Paraná e 67% no Brasil. Deodato Matias Junior, Supervisor Comercial da Regional Norte, explica que o programa de melhoramento genético da empresa é reconhecido mundialmente pela excelência no desenvolvimento de tecnologias de trigo, trazendo excelente qualidade industrial, alto potencial produtivo e estabilidade em todas regiões tritícolas do país pela segurança que entrega. “Nossas cultivares resultam de pesquisa e investimento em tecnologia e, por isso, são reconhecidas como de excelente produtividade e de um ótimo balanço entre qualidade para a indústria panificadora e características agronômicas, facilitando o manejo e oferecendo segurança ao produtor rural”, ressalta Matias. A Biotrigo atualmente conta com um portfólio de 12 cultivares de trigo, incluindo dois novos projetos focados em segmentos ainda inéditos no mercado.

← Após USDA, soja despenca na CBOT e preços perdem os R$ 80 nos portos - Análise Notícias Agrícolas Soja trabalha em Chicago buscando manter a estabilidade - análise Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui