Câmbio ajuda e comercialização de soja melhora no Brasil | Agrocampo | Notícias do campo, agricultura, agronegócio, tecnologias, cadeias produtivas, produção agrícola e o fortalecimento do setor no mercado

Câmbio ajuda e comercialização de soja melhora no Brasil

Câmbio ajuda e comercialização de soja melhora no Brasil

Câmbio ajuda e comercialização de soja melhora no BrasilO mercado brasileiro de soja apresentou uma melhor movimentação na parte final da semana, mas nada que registre uma aceleração contundente no ritmo de comercialização. A forte alta do dólar deu sustentação aos preços em algumas praças. Em outras, o mercado sente a pressão sazonal exercida pelo início da colheita.

     Em Passo Fundo (RS), a saca de 60 quilos subiu de R$ 83,00 para R$ 85,00 entre os dias 14 e 21 de janeiro. Em Cascavel (PR), o preço recuou de R$ 79,00 para R$ 75,50. A cotação subiu de R$ 70,00 para R$ 72,00 em Rondonópolis (MT). Em Dourados (MS), o preço passou de R$ 76,50 para R$ 73,00, enquanto em Rio Verde (GO) seguiu estabilizado na casa de R$ 76,00.

     O câmbio foi o destaque da semana. Impulsionado pelas incertezas internas, tanto no campo político como econômico, e pela tensão crescente no mercado internacional, o dólar comercial atingiu a máxima história ao longo da semana e acumulou valorização de 4,2% na semana, fechando a quinta a R$ 4.166.

     No mercado internacional, o dia foi de fortes oscilações na Bolsa de Mercadorias de Chicago (CBOT). As commodities foram afetadas pelo recuo acentuado do petróleo e pelos temores em torno da economia chinesa. Mas houve recuperação no encerramento da semana por conta da melhora no cenário externo e pelas preocupações com a produtividade inicial das lavouras brasileiras.

     Oferta e demanda

     As exportações de soja do Brasil deverão totalizar 54,5 milhões de toneladas no ano comercial 2015/16, repetindo o volume da temporada anterior. A previsão faz parte do quadro de oferta e demanda brasileiro, divulgado por SAFRAS & Mercado. O esmagamento deverá subir 4%, passando de 40 milhões para 41,5 milhões de toneladas.

     A oferta total de soja deverá subir 3% na temporada, passando para 100,202 milhões de toneladas. A demanda total está projetada por SAFRAS em 99,15 milhões de toneladas, com incremento de 2%. Desta forma, os estoques finais deverão subir 579%, passando de 155 mil para 1,052 milhão de toneladas.

     SAFRAS trabalha com uma produção de farelo de soja de 31,54 milhões de toneladas, com aumento de 4%. As exportações deverão subir 3% para 15,3 milhões de toneladas, enquanto o consumo interno está projetado em 16 milhões, com elevação de 6%. Os estoques deverão subir 14%, para 1,973 milhão de toneladas.

     A produção de óleo de soja deverá passar de 8 milhões para 8,3 milhões de toneladas. O Brasil deverá exportar 1,55 milhão de toneladas, repetyindo o ano anterior. A previsão é de que 2,6 milhões de toneladas sejam disponibilizadas para a fabricação de biodiesel, com aumento de 4%. O consumo interno deve crescer 4% para 6,85 milhões, contando o uso para o biocombustível. A previsão é de recuo de 33% nos estoques para 201 mil toneladas.

     Dylan Della Pasqua / Agência SAFRAS

← Soja: mercado mantém estabilidade nesta 5ª em Chicago - via Notícias Agrícolas Soja em Chicago registra nova sessão de estabilidade nesta 4ª feira; no Brasil, mercado descolado - via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui