Caso de mormo provoca suspensão de competição com cavalos no RS

Caso de mormo provoca suspensão de competição com cavalos no RS

Caso de mormo provoca suspensão de competição com cavalos no RSA Secretaria da Agricultura e Pecuária do Rio Grande do Sul confirmou um caso de mormo em um cavalo em Rolante, no Vale do Paranhana. Com isso, a pasta irá adotar medidas para prevenir e controlar a doença, que é infecciosa. A constatação do foco ainda provocou alteração no calendário do Freio de Ouro, tradicional competição entre os cavalos crioulos.

A etapa de Santo Ângelo, que começaria nesta quarta (3), foi cancelada. O transporte de equinos fica suspenso para evitar a propagação da doença. O evento ficou reagendado para acontecer entre os dias 2 e 5 de julho.

[ubm_premium_banner_rotation banners=4,5,19 interval=8 width=250 height=250 orderby=rand]

O mormo é uma doença silenciosa que atinge cavalos. Os sintomas são febre alta, tosse e secreção nasal. Podem aparecer também nódulos no nariz e nos pulmões dos animais, além de feridas nos membros. A transmissão acontece através de secreções dos animais doentes que contaminam principalmente os  bebedouros. O mormo é uma zoonose, ou seja, pode ser transmitido ao homem. Tanto em animais quanto em humanos pode levar à morte.

Em caso de suspeitas da doença, o produtor ou criador deve notificar o caso  imediatamente às autoridades, para que sejam adotadas as medidas sanitárias pertinentes.

Abaixo, a nota emitida pela Secretaria Estadual da Agricultura e Pecuária:

“Tendo em vista a detecção de um equino positivo para Mormo no município de Rolante, no Vale do Paranhana no Rio Grande do Sul, a Coordenação Estadual do Programa Nacional de Sanidade de Equídeos, da Divisão de Defesa Sanitária Animal do Departamento de Defesa Agropecuária (DDA), com objetivo de sanear o foco e impedir a disseminação da enfermidade, está adotando as medidas de defesa sanitária animal em consonância com as ações de prevenção e controle de Mormo, previstas na Instrução Normativa nº 024 de 05/04/2004, publicada pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento – MAPA.

Mormo é uma enfermidade de equídeos que causa febre, úlceras na mucosa nasal, descarga nasal purulenta ou sanguinolenta, abscessos nos linfonodos e dispnéia. É uma das doenças de Notificação Obrigatória ao Serviço Veterinário Oficial conforme a Instrução Normativa/MAPA nº 50 de 24/09/13, doença infecciosa que acomete equídeos e trata-se de importante zoonose.

Portanto, toda suspeita de mormo deve ser notificada imediatamente a SEAP, através de suas Inspetorias de Defesa Agropecuária para que sejam adotadas as medidas sanitárias pertinentes.

Em caso de dúvidas o produtor ou criador pode consultar a IDA de seu município, a lista com as IVZ responsáveis pelos municípios com telefone e endereço está disponível no site da Secretaria da Agricultura e Pecuária”.

← 81ª Expofeira Agropecuária de São Gabriel Estoques globais de grãos reduzem ameaça de crise alimentar, diz FAO →

Deixe seu comentário aqui