Em Chicago, mercado da soja parece retomar o fôlego e tem altas de dois dígitos nesta 6ª feira – via Notícias Agrícolas

Em Chicago, mercado da soja parece retomar o fôlego e tem altas de dois dígitos nesta 6ª feira – via Notícias Agrícolas

MERCADO DA SOJAPor Carla Mendes. O mercado da soja na Bolsa de Chicago testou, nos últimos dias, a primeira semana de preços em queda após nove positivas consecutivas. Assim, depois das fortes quedas, o mercado retoma seu movimento positivo nesta sexta-feira (17) e busca se equilibrar novament. Perto de 7h40 (horário de Brasília), os principais vencimentos da oleaginsa subiam entre 11,75 e 12,50 pontos, com o julho/16 buscando retomar seu patamar dos US$ 11,50 por bushel. O novembro, contrato mais negociado neste momento, era negociado a US$ 11,31.

As altas podem ser registradas em praticamente todas as commodities agrícolas nesta sexta, já que as mesmas também passaram por uma semana de intensa realização de lucros. A exceção fica pelo café robusta em Londres e pelo ouro, que subiu durante os últimos dias e de forma bastante expressiva.

Para os grãos, especificamente, analistas internacionais acreditam que “essas baixas já foram longe o suficiente”, o que permite uma volta dos fundos à ponta compradora do mercado. E para a soja, a demanda ainda continua atuando como um importante estímulo para os investidores e como pilar de sustentação para os preços.

Além disso, conta ainda com a força da recuperação que pode ser observada também entre os futuros do farelo e do óleo de soja negociados na Bolsa de Chicago. Ao mesmo tempo, o clima nos Estados Unidos permanece no radar dos traders e a possibilidade de os próximos dias serem de tempo mais quente e seco, apesar das chuvas que chegam ao Corn Belt nesse momento, ajuda a renovar o fôlego das cotações.

Fonte: Notícias Agrícolas
← Soja: Com especulação sobre o clima nos EUA, mercado em Chicago recua nesta 2ª feira - Via Notícias Agrícolas Soja: Mercado em Chicago sente pressão das vendas dos fundos e volta a recuar nesta 5ª feira - Via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui