Fosfito de potássio: uma estratégia eficiente para a manutenção de altas produtividades

Fosfito de potássio: uma estratégia eficiente para a manutenção de altas produtividades

estratégia eficiente para a manutenção de altas produtividades.Inúmeros trabalhos de campo têm demonstrado que, na cultura da soja, a principal questão a ser observada não seria propriamente o aumento de produção, mas sim a descoberta de novas estratégias ou ferramentas a fim de garantir que o potencial máximo produtivo que a semente carrega em sua genética se manifeste em sua totalidade.

Dentro deste conceito de evitar as perdas, o uso de fosfito de potássio nas lavouras vem crescendo de forma rápida e hoje este produto ocupa um importante espaço, não apenas em campos de soja, mas também junto a outras grandes culturas, tais  como  trigo, milho, algodão e feijão.

O mecanismo de ação do fosfito de potássio nos vegetais ocorre de duas formas:

  1. Ação direta sobre fungos, auxiliando no controle sobre várias doenças conhecidas;
  2. Ação direta sobre o metabolismo secundário da planta através do aumento da produção das fitoalexinas, que são importantes compostos naturais, atuando tanto na defesa quanto na melhoria das condições da planta frente aos possíveis problemas relacionados ao clima (abiótico) e às doenças e pragas (biótico).

Na cultura da soja, onde há exigência de um alto rendimento para um ciclo produtivo curto, a perda da rusticidade da planta aliado à dependência por massa verde, faz do uso do fosfito de potássio uma alternativa extremamente importante. As aplicações, que devem ser realizadas a partir da fase final do período vegetativo até o início ou meio do ciclo produtivo (vagem ou formação de grão) garantem o fortalecimento do sistema de defesa da planta.

Além disso, por coincidir com a época de aplicação de fungicidas, o produtor tem a possibilidade de aplicar o fosfito juntamente com este defensivo, resultando em ganhos logísticos e operacionais. Nesta mistura, o agricultor deve ficar atento à qualidade da calda de pulverização, principalmente no que diz respeito ao pH final, uma vez que caldas muito ácidas podem comprometer a eficácia do fungicida.

No Rio Grande do Sul, a empresa israelense Luxembourg vem realizando trabalhos técnicos e comerciais, tanto na soja quanto no trigo, há mais de dois anos. Utilizando a estratégia de aplicações parceladas nos períodos de maior demanda energética da planta, os resultados de campo atestam que a qualidade do fosfito de potássio a ser utilizado é fundamental para uma melhor resposta e que, uma vez respeitadas as boas práticas de produção, o seu uso se mostra uma ótima ferramenta para a manutenção de elevadas produtividades.

Rodrigo Altmayer e Edgard Borrmann
Engenheiros Agrônomos
Núcleo de Pesquisa e Desenvolvimento Luxembourg.

← Fungos e bactérias são aliados no combate a doenças do arroz BtControl quebra ciclo de vida da Helicoverpa armigera →

2 Comments

  1. Diogo Neves
    08/08/2016 at 17:05

    Interessante Rodrigo a matéria.
    Agora, e outros tipos de Fosfito que não seja de K, qual o seu parecer sobre eles?
    Até onde sei, o Fosfito não tem função de nutrição, mas principalmente a produção de fitoalexinas, como você mesmo esclareceu.
    Pode discorrer mais sobre a ação em fungos?
    Obrigado


  2. Saikat
    09/09/2015 at 13:15

    Tenho uma videira,dessas uvas roxas as mais cunmos.c8 a preimeira vez que a podei neste julho, de 2012,sempre orientada pela internet.Para minha felicidade ela me presentou com alguns cachos que este3o a crescer.Lembrando que ela deva ter uns quase um ano e 1/2.Bem a minha duvida e9 qual produto devo usar ,para borrifar nela e se e9 antes ou depois da poda. Tentei a calda bordalesa mas nao acho o tal cal pois sf3 encontro sacos de grande quantidade. gostaria de saber se tbem posso aplicar o calcario de conchas, para corrigir o solo mesmo ela estando com frutos?Depois que eu a plantei e que deu frutos aed tomei conhecimento do tal calce1rio por favor me ajudem.Desde ente3o fico mto grata e que Deus os abene7f5e.Ass: Zuleica M. Costa


Deixe seu comentário aqui