Planejamento na empresa rural com Rogério Bastos | Agrocampo | Notícias do campo, agricultura, agronegócio, tecnologias, cadeias produtivas, produção agrícola e o fortalecimento do setor no mercado

Planejamento na empresa rural com Rogério Bastos

Planejamento na empresa rural com Rogério Bastos

rogerioPlanejar, desenvolver (Executar), controlar, agir corretivamente, planejar ainda, tal é a lei do ciclo PDCA.

Esta ferramenta simples, mas poderosa para melhorar os processos é adotada em larga escala pelas empresas que buscam a melhoria continua e melhores padrões de qualidade. Na verdade, tudo o que fazemos no dia a dia, antes foi pensado em como fazer, mesmo que o plano tenha ficado apenas no nosso pensamento e a execução tenha ocorrido de fato.

Em se tratando da gestão na empresa rural esta ferramenta em muitas vezes fica deixada de lado, por que os afazeres do gestor rural são muitos e ele não investe o devido tempo na tarefa de planejar. Mas tudo pode ser diferente, e ainda melhor, se o produtor empresário rural dedicar minimamente o tempo necessário ao planejamento.

O planejamento, P, vem sucedido pela execução, ou seja, do desenvolvimento das tarefas planejadas, D, que por sua vez vem sucedido pelo controle do desenvolvimento da ação, C, que por fim vem sucedido da ação corretiva, A, caso tenha sido detectado, pelo controle, algum desvio de rota do planejado inicialmente. E, para implementar a tal ação corretiva requer novo planejamento e assim por diante. Desta forma a empresa rural vai cada vez mais melhorando seus processos e consequentemente seus resultados. A primeira impressão parece muito teórico, mas vamos ver como o produtor empresário rural pode fazer planejamento na sua empresa rural.

Há três níveis de gestão em qualquer tipo de organização. O estratégico, o gerencial e o operacional.  Para cada nível há um tipo de planejamento.

Para o nível de gestão estratégico (direção, família, gestores) há o Planejamento Estratégico: Nele, os gestores definem o direcionamento com a visão muito clara do que se pretende no futuro – chama-se visão de futuro, onde a empresa pretende chegar, como gostaria de ser vista pelo mercado (clientes e fornecedores), sociedade (sócios e comunidade onde está inserida), em seguida define o seu negócio, ou seja, o seu segmento de atuação, para atender melhor o seu mercado com mais foco e qualidade. A missão é outro aspecto definido pelos gestores, pois nela se estabelece a razão de ser do empreendimento: o que faz e para quem faz. O direcionamento estratégico deve ser balizado pelos valores, princípios ou políticas da Empresa, ou seja suas crenças, seus limites. Uma análise do ambiente externo da empresa deve ser minuciosamente detalhada para se observar as oportunidades e ameaças existentes ao negócio. Da mesma forma, o ambiente interno deve ser minuciosamente detalhado para se observar os pontos fortes e os pontos fracos existentes na empresa. Após estas análises que os gestores estabelecem um plano de ações para aproveitar as oportunidades, minimizar as ameaças, potencializar os pontos fortes e neutralizar os pontos fracos.  Quais os controles para este tipo de planejamento? Rentabilidade, lucratividade, crescimento, entre outros.

Para o nível de gestão gerencial (gerência) há o Planejamento Gerencial: considera a estrutura do empreendimento nos diversos níveis de planejamento, programação e controle, segundo seus aspectos físicos, econômicos e financeiros. Sua função é definir e atualizar o cronograma do planejamento estratégico em nível de execução. Atua em especial sobre a área administrativa financeira e de gestão de custos das diversas áreas da empresa. As ferramentas de controles são os registros financeiros, caixa, contas a pagar/receber, fluxo de caixa, custos de produção e em especial a gestão de pessoas.

Por fim, há o planejamento operacional (objeto do negócio), que é elaborado a partir do planejamento gerencial, com a seguinte finalidade:

  • Definir a produção a curto e médio prazo (culturas, variedades, área, rotação de culuras)
  • Definir recursos (pessoas, insumos, equipamentos)
  • Diligenciar pendencias (licenças, certidões negativas)

Para facilitar e criar o hábito de planejar formalmente deixo uma dica de roteiro bem simples para iniciar o processo de planejamento na sua empresa rural:

Responda por escrito:

  • O que eu pretendo com esta empresa rural?
  • O que eu devo fazer para chegar lá?
  • Quais os recursos necessários para chegar lá?
  • Onde encontrar os recursos necessários?
  • Até quando devo tomar as providências necessárias?

Vá em frente, bom trabalho e sucesso!

← Prevenir ou remediar, eis a questão! Boas práticas de gestão na propriedade rural →

Deixe seu comentário aqui