Quanto leite devemos dar as bezerras? | Agrocampo | Notícias do campo, agricultura, agronegócio, tecnologias, cadeias produtivas, produção agrícola e o fortalecimento do setor no mercado

Quanto leite devemos dar as bezerras?

Quanto leite devemos dar as bezerras?

Está ficando cada vez mais comum o fornecimento de quantidades elevadas de leite para as bezerras na fase inicial de suas vidas, mas isso pode ser um “tiro no pé”.

Diversos trabalhos de pesquisa, realizados na última década no Canadá e EUA, mostraram que fornecer mais leite do que os tradicionais quatro litros por dia para as bezerras na fase de aleitamento resultam em maior peso ao desmame, e pode ocasionar maior produção de leite na primeira lactação desses animais.

Com a divulgação desses resultados, essa prática passou a ser utilizada como rotina em muitas fazendas no Brasil, onde é comum aleitar as bezerras com oito litros ou mais por dia.

No entanto, essa prática pode não produzir os resultados esperados, o que tem sido cada vez mais notado em fazendas brasileiras. Certamente, as bezerras que consomem mais leite na fase de aleitamento serão desmamadas com peso maior do que as que recebem quantidades moderadas, mas isso não garante que se beneficiarão disso na fase adulta.

>>Confira: Planilha de Controle de custos para confinamento de Bovinos

É claro que o aleitamento adequado é fundamental para a saúde e bom desenvolvimento da bezerra, mas é preciso entender que fornecer leite em grandes quantidades nos primeiros meses de vida do animal não garante que essa bezerra se torne uma vaca mais produtiva e eficiente.

Após o desmame, as bezerras passam a receber apenas alimentação sólida, a qual deve ter sido introduzida durante a fase de aleitamento. Quanto maior a quantidade de leite recebida na fase de aleitamento, menor será a quantidade ingerida de ração inicial nesse período.

Se o consumo da ração inicial for insuficiente, o desenvolvimento do sistema digestivo será retardado, e com isso as bezerras podem sofrer bastante depois da desmama, perdendo todo o benefício de tomar muito leite na fase anterior.

O momento da desmama é um período bastante estressante para a bezerra, pois ela passa a não ter mais acesso ao seu alimento preferido, que é o leite. A partir daí todos os nutrientes que ela precisa serão fornecidos pela alimentação sólida, e para que o animal continue saudável e se desenvolvendo bem após a desmama é fundamental que a ingestão de alimentos seja consistente nesse período.

Quanto maior o consumo de ração inicial na época da desmama, melhor será o desempenho da bezerra depois da desmama, por isso não se deve correr o risco de que o fornecimento excessivo de leite possa prejudicar essa ingestão de ração.

PIB AGROPECUÁRIA X PIB AGRONEGÓCIO

No Brasil Central – com foco em SP, MG e GO – a mortalidade de bezerras pós-desmama é muito alta, girando entre 8-11%. Em grande parte, isso se deve à ocorrência de tristeza parasitária bovina, doença transmitida pelos carrapatos que acomete 100% dos rebanhos dessas regiões.

Se o consumo de ração inicial não for satisfatório na desmama, muito provavelmente o consumo de alimentos na transição pós-desmama também será insatisfatório. Com consumo inadequado de alimentos, e consequente ingestão insuficiente de nutrientes, o sistema imune do animal é prejudicado, o que fará com que a bezerra fique muito mais vulnerável à ocorrência de doenças, como a tristeza.

Hoje, nossa recomendação técnica é que no momento da desmama as bezerras estejam consumindo pelo menos 1,5-2,0 kg de ração inicial por dia. Isso é fundamental para que o rúmen se desenvolva adequadamente, o que por sua vez é indispensável para que os animais estejam saudáveis e se desenvolvam bem pós-desmama.

26º ENCORTE TRAZ NOVIDADES AO CENÁRIO DA PECUÁRIA

Para tal, fornecer a elas quantidade muito elevada de leite pode ser um desafio. Dependendo do sistema, pode ser mais interessante limitar o fornecimento de leite para que o consumo da ração inicial seja maximizado. Seis litros de leite por dia, associados ao fornecimento de uma ração inicial de alta qualidade e bom manejo sanitário dos animais, é mais do que suficiente para garantir o bom desenvolvimento das bezerras.

A meta para a desmama é que bezerras de raças grandes atinjam pelo menos o dobro do peso ao nascimento e que atinjam cerca de 100 kg de peso aos 90 dias de vida.

Outro aspecto fundamental da criação de bezerras, ao qual muitas vezes não se dá a devida atenção nas fazendas, é o fornecimento de água. É imprescindível que as bezerras tenham acesso irrestrito à água fresca e limpa, desde os primeiros dias de vida.

Ainda existe a crença de que pelo fato de beber leite a bezerra não precisa tanto de água, mas isso não é verdade. Baixo consumo de água vai levar a menor consumo de ração inicial, que é o principal fator responsável pelo desenvolvimento funcional do rúmen.

EMBRAPA REALIZA PALESTRA INTERATIVA SOBRE PECUÁRIA LUCRATIVA

Em resumo, para que as bezerras leiteiras se tornem vacas produtivas é fundamental que na fase de aleitamento, além de serem adequadamente colostradas, recebam quantidade adequada de leite, sem excessos, e que tenham acesso irrestrito à água e ração inicial de alta qualidade.

Monitorar o consumo dessa ração é imprescindível, pois no momento da desmama as bezerras devem ingerir pelo menos 1,5-2,0 kg da ração ao dia. Com isso, elas terão uma transição pós-desmama mais tranquila e poderão se desenvolver bem e com saúde.

Por: Alexandre Pedroso é Consultor Técnico de Bovinos de Leite da Cargill Nutrição Animal

Acompanhe a Revista Agrocampo
Inscreva-se em nosso canal YOUTUBE
Siga no INSTAGRAM
Siga no TWITTER

← Estado quer antecipar a retirada da vacina contra aftosa Área de Produção Animal da Unicruz tem forte presença na XIV Fenatrigo →

Deixe seu comentário aqui