Milho: Alta do dólar impulsiona e preços sobem na BM&F nesta 5ª feira; set/15 é cotado a R$ 29,35/sc – Análise Notícias Agrícolas

Milho: Alta do dólar impulsiona e preços sobem na BM&F nesta 5ª feira; set/15 é cotado a R$ 29,35/sc – Análise Notícias Agrícolas

Milho: Alta do dólar impulsiona Por: . Com o suporte do dólar, as cotações do milho negociadas na BM&F Bovespa operam em campo positivo nesta quinta-feira (6). As principais posições da commodity sobem pelo 6º pregão consecutivo e, por volta das 13h14 (horário de Brasília), exibiam ganhos entre 2,84% e 3,71% O vencimento setembro/15 era cotado a R$ 29,35 a saca, após fechar o dia anterior a R$ 28,30 a saca.

Já a moeda norte-americana era cotada a R$ 3,56, com ganho de 2,01% nesta 5ª feira. Em meio ao quadro político e econômico do Brasil e as perspectivas de alta de juros nos Estados Unidos, o câmbio continua sustentado. De acordo com dados do site G1, a valorização do dólar observada ao longo do ano chega a 31,23%.

Bolsa de Chicago

Durante os negócios desta quinta-feira (6), os futuros do milho voltaram a trabalhar do lado negativo da tabela na Bolsa de Chicago (CBOT). As principais posições do cereal exibiam quedas entre 1,00 e 2,00 pontos, por volta das 12h52 (horário de Brasília). O vencimento setembro/15 era cotado a US$ 3,71 por bushel, depois de iniciar o dia a US$ 3,73 por bushel.

Ainda há muita especulação no mercado sobre os novos números do relatório de oferta e demanda do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que será reportado no próximo dia 12 de agosto, conforme ressaltam os analistas. As estimativas de cinco consultorias indicam uma produção abaixo do apontado pelo departamento em seu último boletim de oferta e demanda, de 343,7 milhões de toneladas.

Por outro lado, os investidores voltaram a focar o clima no Meio-Oeste norte-americano, uma vez que as previsões climáticas apontam para o tempo mais seco nos próximos dias, conforme as informações das agências internacionais. Segundo os últimos mapas reportados pelo NOAA – Serviço Oficial de Meteorologia do país -, no intervalo dos dias 13 a 19 de agosto, as temperaturas deverão ficar entre 40% e até 50% acima da média em boa parte do Meio-Oeste.

Já as chuvas, deverão ficar entre 40% até 50% abaixo da média, ainda conforme dados do NOAA. Ainda nesta quinta-feira, são previstas pancadas de chuvas sobre algumas localidades no Meio-Oeste, porém, as precipitações serão isoladas e de baixa intensidade, de acordo reporte do agrometeorologista da Somar Meteorologia, Marco Antônio dos Santos.

Projeção de chuvas nos EUA entre os dias 13 a 19 de agosto – Fonte: NOAA

“E esse deverá ser o padrão meteorológico para essas próximas duas semanas. Chuvas apenas na forma de pancadas e muito isoladas, podendo até mesmo, ocorrer períodos de estiagem em algumas regiões produtoras. Podendo desse modo, afetar o desenvolvimento das lavouras de soja, milho, algodão e trigo de primavera. Porém, esse período de chuvas mais escassas não deverá comprometer de forma significativa a produtividade das lavouras, podendo ocorrer, apenas, perdas regionalizadas e de baixa intensidade”, ainda segundo informações do boletim.

Já as vendas para exportação foram estimadas em 274,300 mil toneladas de milho no total, até a semana encerrada no dia 30 de julho. As expectativas do mercado variavam entre 550 mil a 950 mil toneladas do grão. As informações foram divulgadas pelo USDA.

← Crédito rural: Contratações do Plano ABC crescem 36% no ano-safra 2014/2015 Soja: Mercado caminha de lado em Chicago nesta 5ª feira e segue na espera pelo USDA - Análise Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui