Não haverá seguro rural para a segunda safra de milho no Brasil

Não haverá seguro rural para a segunda safra de milho no Brasil

Não haverá seguro rural para a segunda safra de milho no BrasilDecisão da não liberação do recurso para o pagamento da subvenção veio da ministra da Agricultura e do secretário de Política Agrícola. Produtores agora serão cobrados pelas seguradoras e prêmio é elevado para a cultura. Com a dívida do governo com as empresas, programa do próximo ano está comprometido.

O Ministério da Agricultura comunicou a Federação da Agricultura do Estado do Paraná (FAEP) que não haverá subsídio para o seguro rural da segunda safra de milho.

No início de maio, o MAPA autorizou a liberação de R$ 90 milhões para o seguro do trigo e R$ 2 milhões para outras culturas de inverno, mas não incluiu o milho de segunda safra. Segundo Pedro Loyola, os produtores não têm condições de arcar com os 60% do valor do prêmio subsidiado pelo governo. Em média uma apólice de 100 mil reais para cobertura do milho safrinha, custa 16 mil reais, desses 6 mil eram pagos pelos produtores e 10 mil entrava como subsídio do governo.

[ubm_premium_banner_rotation banners=4,5,22 interval=8 width=250 height=250 orderby=rand]

Loyola lembra que neste ano a maioria dos produtores do Paraná já realizou a quitação de 40% do seguro, e nos mês de agosto e setembro deverão realizar o pagamento dos outros 60%, já que a ministra da Agricultura confirmou que por falta de recursos não será liberado nenhum valor de subsídio.

“Os produtores serão informados nos próximos dias pelos corretores e seguradoras, e na sequencia vão receber também os boletos. Já sabemos que dada à dificuldade na comercialização do milho, eles terão que desembolsar mais um valor que não estava previsto no orçamento. Faltou ao governo ter feito essa comunicação às seguradoras e aos produtores lá no mês de novembro e dezembro, antes de toda a programação”, declara Loyola.

Segundo ele, mesmo com os subsídios no trigo e nas culturas de inverno, “o governo possui ainda 260 milhões de recursos disponíveis” para arcar com o seguro rural da segunda safra de milho.

Outro fator preocupante é que o Ministério da Agricultura realizou o pagamento de apenas 2% do valor contratado no ano passado. A dívida do governo com as seguradoras já chega a R$ 690 milhões de reais, e deixa os produtores em alerta com a continuidade do programa.

“Vamos tentar ainda insistir com o Ministério da Agricultura para reverter essa situação. Os boletos devem vir para agosto e setembro, então temos quase dois meses para brigar e reverter essa decisão”, afirma o presidente.

Por: Carla Mendes e Larissa Albuquerque
Fonte: Notícias Agrícolas

← "Mãe, tapa a terneira também" Soja opera estável nesta manhã em Chicago e mercado observa safra dos EUA →

Deixe seu comentário aqui