silicio-o-amigo-das-plantas

Silício: O amigo das plantas

Um sistema de produção agrícola normalmente se caracteriza como um ambiente altamente estressante para as culturas.

Durante todo o ciclo de vida, a planta deverá superar os mais diferentes fatores ambientais, minimizando os possíveis efeitos negativos no seu desenvolvimento e capacidade produtiva.

Doenças, pragas, variações de temperatura, déficit hídrico, problemas no solo como baixa fertilidade, pH e alumínio são alguns fatores de estresse responsáveis por grandes perdas de rendimento na agricultura e uma procura constante por melhorias por parte do produtor.

A nutrição como aliada

A evolução do conhecimento em nutrição de plantas, nos últimos anos, tem se apresentado como uma grande ferramenta a ser explorada e somada ao manejo das culturas em geral. Principalmente quando objetivamos a ativação fisiológica das plantas.

Um nutriente bastante interessante e que tem chamado a atenção do meio agrícola é o silício, especialmente pela sua capacidade de gerar efeitos em todo sistema de produção.

Esse nutriente é capaz de melhorias de características importantes para a vida do solo, como pH, diminuição dos efeitos tóxicos do alumínio, liberação do fósforo nativo e aumento da atividade biológica. Nas plantas passa a desempenhar papeis fisiológicos fundamentais, como melhoria do uso da água, resistência a pragas e doenças, avanço da atividade fotossintética e melhor aproveitamento de nutrientes.

Seus efeitos tanto no solo quanto nas plantas o tornam um dos nutrientes mais completos existentes na natureza e o fazem ser caracterizado como um anti-estressante natural para as plantas.

Silício nas plantas

O Si é absorvido pela raiz da planta na forma neutra, como ácido monosilícico (H4SiO4), por processo passivo ou ativo, através de transportadores de membrana específicos para este fim. O transporte do ácido monosilícico é feito via xilema e pode ser regulado pela transpiração ou por processo ativo.

Proteção de plantas

Depois de absorvido, fica depositado principalmente nas paredes das células da epiderme, contribuindo substancialmente para fortalecer a estrutura da planta e aumentar a resistência ao acamamento e ao ataque de doenças e pragas. Outro efeito importante e que pode ser utilizado conjuntamente com os atuais manejos de controle para doenças é a capacidade de ativação de genes e sinalização na biossíntese de compostos de defesa, em processo denominado de resistência sistêmica adquirida (RSA), que sintetiza compostos como fitoalexinas, fenóis e fenilpropanóides.

Perda de Água

A disponibilidade da água no solo é um dos fatores ambientais que mais afetam o desenvolvimento da cultura. A seca leva ao fechamento dos estômatos da planta, com isso, para de entrar CO2 e a planta vai ao processo fotossintético, o que provoca um aumento da taxa respiratória, levando ao consumo das reservas que ela produziu.

Quando a planta absorve silício, consegue efetivar o controle osmótico, ou seja, controla melhor a perda de água, ficando por mais tempo com os estômatos abertos e permitindo a entrada de CO2 para a fotossíntese.

Roberto Salet - Doutor em solos /Sócio-diretor da Biogranum

Deixe seu comentário