Post

ILPF é bom para o meio ambiente e excelente para economia da fazenda

Muito tem se falado sobre a Integração lavoura-pecuária-floresta (ILPF), técnica que consiste na produção sustentável, integrando atividades agrícolas, pecuárias e florestais, realizadas na mesma área, em cultivo consorciado, em sucessão ou rotacionado.

Essa estratégia tem sido adotada por muitos agricultores e pecuaristas no Brasil, e visa à produção, além do cumprimento dos procedimentos sustentáveis e otimização do uso do mesmo espaço por atividades distintas.

O grande mote é que além de tudo isso, também apresenta grandes ganhos econômicos a quem adere à prática.

Experimentos realizados em solo de Cerrado do oeste baiano com o objetivo de estudar a decomposição e liberação de macronutrientes da palhada de milho mais Brachiaria ruziziensis, sob sistema de integração lavoura-pecuária (ILP) apresentou resultados surpreendentes.

Transformando-se as quantidades de nutrientes liberadas até os 110 dias, período de certa coincidência com o florescimento da cultura sucessora principal, pelos três principais macronutrientes (N, P e K) em quantidade de adubos, houve a economia somente em fertilizantes de R$ 243,00 por hectare.

“Estes resultados do estudo de Santos e colaboradores, comprovam que a ILPF tem papel importante no manejo da adubação das culturas e ainda gera economia de recursos”, diz a Eng. Agro. Andreza P. da Silva Cruz, técnica de sementes da Soesp, empresa com sede em Presidente Prudente, interior de São Paulo.

O resultado ainda é mais surpreende quando calculado em grandes áreas. Por exemplo, uma fazenda de médio porte, que tenha uma área plantada de 500 hectares, com a realização da ILP de forma correta, o produtor garantiria uma economia com fertilizantes de R$ 121,5 mil.

“É importante destacar que estamos falando apenas da economia com fertilizantes, mas sabemos que a ILP ou ILPF também garantem melhora física do solo (descompactação), além de uma pastagem mais produtiva e de qualidade para alimentação do gado e, consequentemente, maior ganho de peso dos animais”, destaca Andreza.

 

Deixe seu comentário