O Manejo 4C para construir solos de alta performance

O Manejo 4C para construir solos de alta performance

manejo_4cAs melhores práticas de manejo que permitem os agricultores maximizar o desempenho econômico, social e sustentável das aplicações de nutrientes.

A constante evolução dos sistemas produtivos torna indispensável à existência de informações relevantes e confiáveis dentro das propriedades agrícolas para que decisões corretas sejam tomadas. Com o avanço dessa demanda por alimentos, novas tendências sustentáveis surgem a todo o momento para auxiliar na produção rural, uma dessas soluções é o manejo 4Cs.

Esse manejo gerencia o uso de fertilizantes na adubação, que se feito apropriadamente, ajuda a solucionar o desafio da produção crescente de uma maneira economicamente viável, ao mesmo tempo que retém a integridade ecológica dos sistemas de lavoura e, ainda, auxilia na redução da emissão de gases do efeito estufa.

Para aumentar a eficiência dessa adubação vários fatores são importantes e devem ser levados em consideração. Uma ampla campanha mundial já vem sendo desenvolvida pelo IPNI (Instituto Internacional de Nutrição de Plantas) que utiliza o método 4Cs aplicado a fertilidade química do solo.

Esta denominação 4Cs diz respeito às melhorias das práticas agrícolas que maximizam a produtividade das culturas através da melhor eficiência dos fertilizantes, utilizando a dose Correta, no local Certo, na fonte Certa e época Certa. Na região de Cruz Alta-RS, essa tecnologia já vem sendo utilizada pela AgroPrecision para obter solos de alta performance e colher melhores resultados.

Para que estes conceitos sejam aplicados aos cultivos e se construam solos de alta performance, o mapeamento da fertilidade do solo se faz indispensável. A definição da Dose Correta do fertilizante deve ser construída com a real leitura do nível de fertilidade químico e sua variabilidade, tendo o correto conhecimento da necessidade da cultura de determinado nutriente e sua eficiência.

>>Confira também: A tecnologia de baixo volume que aumenta o rendimento e diminui perdas nas aplicações

O aumento na eficácia do fertilizante está atrelado também ao Local Certo, onde este está sendo colocado, pois sabendo que os nutrientes (nitrogênio, fósforo e potássio) apresentam formas de absorção e mobilidades variáveis no solo, a definição do local correto de posicionamento de cada um deles trará benefícios notórios e rentáveis à produtividade das culturas.

A Fonte Certa pode ser definida pela maior deficiência do nutriente no solo, que aparece no mapeamento da fertilidade feito através da agricultura de precisão, onde é possível visualizar a necessidade de correção e qual a fonte do nutriente que dará maior resposta na cultura, consequentemente atendendo de imediato a maior demanda do solo e da planta e aumentando a taxa de sucesso da adubação.

Outro ponto relevante diz respeito à Época Certa de uso de cada fertilizante, pois existem nutrientes que precisam ser absorvidos ao sistema do solo para depois serem disponibilizados, como por exemplo o fósforo e outros que são prontamente disponíveis a absorção pelas plantas ou perda como a uréia. Deste modo, a definição da época correta de uso de cada nutriente garante a melhor eficiência da adubação a ser utilizada.

Mas, como os nutrientes apresentam diversas fontes, diferentes disponibilidades, várias doses e épocas de utilização a experiência de especialistas em fertilidade do solo é de extrema importância para que se construam solos de alta performance e assim possibilite a melhora na rentabilidade dos sistemas produtivos.

Eng Agr. MSC. Rodrigo R. Rossato
Diretor Comercial da AgroPrecision – Agricultura Inteligente.

Para entender melhor o importante papel do manejo 4C na redução da emissão de gases do efeito estufa, o IPNI Brasil apresenta a versão em português do vídeo sobre esse conceito. Confira abaixo:

← Bayer viaja pelo Brasil com caminhão de sementes de tomate A importância dos micronutrientes da soja para produtividade →

Deixe seu comentário aqui