Panorama do seguro agrícola privado

Panorama do seguro agrícola privado

Se a agricultura vem colhendo resultados magníficos no que tange à produtividade, também podemos dizer que o Seguro Agrícola está numa crescente significativa. Cada vez mais agricultores aderem a este, digamos insumo, objetivando proteger o alto investimento realizado em seus empreendimentos.

Sementes de qualidade, agricultura de precisão, tecnologia em máquinas, informação e uma gestão do agricultor cada vez mais profissional são os principais fatores deste sucesso. Assim, não é à toa que o agronegócio já soma mais de 20% do PIB brasileiro. Nesta mesma linha podemos dizer que o Seguro Rural também tem suas causas que explicam porque os produtores rurais estão cada vez mais conscientes da necessidade desta proteção financeira.

ALTO RISCO DA ATIVIDADE
Empreendimento a céu aberto com insumos caros e que ficam a mercê das incertezas do clima. O seguro é a transferência desse risco para a seguradora.

PSR
Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural. A Lei nº 10.823/2003 autorizou o Poder Executivo a conceder o subsídio no preço do Seguro Rural, o tornando mais acessível, pois, segundo o Ministério da Agricultura, o programa:
A) Reduz o custo de aquisição do seguro para o Agricultor;
B) Massifica a utilização do Seguro Agrícola no país, aumentando o número de lavouras e hectares amparados;
C) Estabiliza a renda dos Agricultores reduzindo a demanda por renegociação e prorrogação de dívidas.

RESSEGURADORAS
As Seguradoras pulverizam o risco vendendo boa parte para Resseguradoras, assim o sistema tem excelente liquidez, o setor torna-se mais estável e sustentável frente aos sinistros que geralmente ocorrem em proporções de catástrofe.

SEGURADORAS
Têm investido constantemente em produtos mais competitivos com maiores coberturas e estão mais abertas a subscrever produtos diferenciados ao mercado.

CORRETORA DE SEGUROS
Comercializa, divulga, promove a cultura do seguro e orienta o segurado sobre as Garantias da Apólice e sobre seus direitos e deveres.

O SEGURO RURAL EM NÚMEROS
O limite de subvenção por CPF é de R$ 72.000,00/ano.
Em 2016 foram contratadas 76,3 mil apólices de Seguro Rural, que garantiram capitais da ordem de R$ 13,26 bilhões.
O prêmio de Seguro Rural pago pelos produtores em 2016 somou R$ 935,32 milhões. A taxa média efetivamente paga pelos produtores foi de 4,8%, já descontado o valor da subvenção.
A taxa efetiva paga pelo produtor para a Soja, hoje, varia entre 4,0 e 4,5%.
A taxa para o Trigo gira em torno de 7,0 a 7,5% para o produto Granizo e Geada e entre 8,5 a 9,5% para o produto Multirrisco.

SEGURO AGRÍCOLA, ESPAÇOS PARA AVANÇAR

Quanto ao Programa de Subvenção Rural:
a) A Verba disponibilizada para subvenção é bem menor que a demanda pelo seguro;
b) Instabilidade Política, ora mais preocupante, gera reflexos na Política Agrícola e especialmente no programa de Subvenção;
c) A Subvenção deveria ser eminentemente Técnica e com foco exclusivo no resultado econômico que produz;
d) Distribuir melhor o risco em várias regiões do País, hoje está muito concentrado na Região Sul onde os riscos são maiores;
e) Mais adesões dos produtores ao seguro agrícola privado que ainda é baixo frente a área total cultivada.

Por: Jorge Daniel Malheiros de Oliveira
Proprietário da Empresa JDM Corretora de Seguros
Corretor de Seguros | SUSEP 10.0273589

← Trigo sem aristas é a solução ideal para a dieta de vacas leiteiras A ECONOMIA BRASILEIRA ENCONTRA NO AGRONEGÓCIO A “SALVAÇÃO DA LAVOURA” →

Deixe seu comentário aqui