Plano Safra 2015/16: Taxas de juros devem ficar de 7 a 9%, informam fontes do governo

Plano Safra 2015/16: Taxas de juros devem ficar de 7 a 9%, informam fontes do governo

Plano Safra 2015/16As taxas de juros que serão praticadas no Plano Safra 2015/16 já estariam definidas e devem ficar entre 7 e 9%, segundo informações de fontes do governo e divulgadas pelo Canal Rural. A ministra da Agricultura Kátia Abreu se reuniu, nesta quarta-feira (20), o com Joaquim Levy, da Fazenda, para discutir o volume e condições dos recursos que serão disponibilizados para a agricultura na temporada 2015/16.

E como já vem sendo praticado, essas taxas devem apresentar um escalonamento, apresentando três faixas, sendo uma de 7%, uma de 8,75% e outra de 9%. As duas primeiras destinadas ao pequeno e médio produtor respectivamente, e a última para os grandes produtores, ou seja, aqueles que faturam acima dos R$ 90 milhões.

Segundo a assessoria de Comunicação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento as informações do Plano Agrícola e Pecuário 2015/2016 serão divulgadas provavelmente no dia 3 de junho pela presidente Dilma Rousseff. Anterior a esta data eles afirmaram a nossa redação da Revista Agrocampo que não poderiam antecipar nenhuma informação.

Veja abaixo, a notícia do Canal Rural e, na sequência, a nota do Mapa sobre a reunião de Kátia Abreu e Joaquim Levy.

>> No Canal Rural – EXCLUSIVO: Taxa de Juros do Plano Safra é de 9%

>> João Batista e Fernando Rodrigues comentam expectativas para Plano Safra 2015/16

>> No Mapa – Kátia Abreu: não haverá redução de custeio na safra 2015-2016

A ministra Kátia Abreu (Agricultura, Pecuária e Abastecimento) afirmou nesta quinta-feira (21) que o Plano Agrícola e Pecuário não trará “nenhum real de redução” para o custeio da safra 2015-2016. Ela tratou de detalhes do plano durante reunião com o ministro Joaquim Levy (Fazenda) na quarta-feira (20).

“Não haverá nenhum real de redução em custeio. Nós poderemos ter é boas surpresas”, disse a ministra durante entrevista na manhã desta quinta. Ela destacou a importância de o ministro da Fazenda ter vindo ao encontro do Mapa para tratar do Plano Agrícola e Pecuário da próxima safra.

“O último ministro da Fazenda que esteve no Mapa foi Delfim Neto, porque era ministro das duas pastas. O ministro Levy, quando fez questão absoluta de vir até aqui, demonstra sensibilidade e sinaliza que a Fazenda leva a sério a agropecuária brasileira”, destacou a ministra.

“Os ajustes deste ano atingirão todos os segmentos, e com o agronegócio não será diferente em relação aos juros. Mas o setor receberá uma atenção especial. Não porque os produtores são especiais, mas porque é um setor que responde muito rápido nas exportações e no barateamento do consumo interno”, afirmou Kátia Abreu. “Investir na agropecuária não é gasto, é investimento que traz retorno para o país.

Fonte: Notícias Agrícolas

← Agricultura familiar reconhecida como categoria profissional Soja: Mercado ainda opera com estabilidade na CBOT nesta manhã de 6ª feira →

Deixe seu comentário aqui