Fundação Pró-Sementes divulga resultados dos Ensaios de Cultivares em Rede (ECR) de soja da safra 2014/2015

Fundação Pró-Sementes divulga resultados dos Ensaios de Cultivares em Rede (ECR) de soja da safra 2014/2015

fundação pró sementesOs resultados de trabalhos de pesquisa conduzidos pela Fundação Pró-Sementes em cinco estados brasileiros ao longo da safra de verão 2014/2015 serão apresentados ao público no dia 20 de agosto de 2015. Trata-se dos Ensaios de Cultivares em Rede (ECR) de soja, que, no último ciclo, testaram a campo 76 cultivares de 10 obtentores em 21 municípios do Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul, em 30 ambientes distintos. Foram selecionados os materiais com maior expressão no mercado de cada região, sempre respeitando a indicação do Zoneamento Agrícola de risco climático.

O objetivo dos Ensaios de Cultivares em Rede é fornecer informações para nortear a tomada de decisão sobre a cultivar a ser semeada na safra seguinte, considerando as diferentes regiões produtoras. Os experimentos são implantados e conduzidos de maneira uniforme em todos os locais selecionados, oferecendo ao produtor rural e à assistência técnica informações idôneas das principais cultivares indicadas para cada região. São apresentados dados como rendimento em kg/ha e em sacos/ha, ciclo para floração e maturação, além da altura de planta de cada cultivar em cada local.

No Rio Grande do Sul, a rede experimental compreende Bagé, Cachoeira do Sul, Dom Pedrito, São Gabriel, Cruz Alta, Não-Me-Toque, Passo Fundo, Santo Augusto, São Luiz Gonzaga e Vacaria. Na metade sul foram realizados ensaios em várzea e em coxilha. Além disso, em alguns locais do RS foram conduzidos ensaios em duas épocas de semenadura. Embora seja uma prática ainda pouco adotada pelos agricultores gaúchos, a safrinha de soja também foi contemplada no ECR da safra 2014/2015, em experimento realizado em Santo Augusto. No estado, o trabalho conta com o apoio financeiro do Sistema Farsul (Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul).

Em Santa Catarina, o local escolhido foi Campos Novos. No Paraná, os experimentos foram conduzidos em Pato Branco, Guarapuava, Campo Mourão (duas épocas), Cascavel, Palotina e Cianorte. No estado de São Paulo, a pesquisa foi realizada em Itapeva, Cruzália e Paranapanema. Já no Mato Grosso do Sul, Maracaju e Sidrolância foram os pontos selecionados.

Sobre os Ensaios de Cultivares em Rede (ECR)
Desde 2008, a Fundação Pró-Sementes realiza ensaios com as cultivares de trigo e soja registradas no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e indicadas pelo Zoneamento Agrícola de risco climático. Os experimentos são realizados em locais definidos, respeitando diferenças climáticas e de altitude, de acordo com o proposto no zoneamento. Todos os resultados dos Ensaios de Cultivares em Rede estão disponíveis para consulta no site www.cultivares.com.br.

A safra de soja 2014/2015 marca o último ciclo de condução dos ECRs nos estados de Santa Catarina, Paraná, São Paulo e Mato Grosso do Sul. Esta decisão foi tomada pela direção da Fundação Pró-Sementes diante da ausência de suporte financeiro para a pesquisa nestes estados. O trabalho continuará sendo realizado no Rio Grande do Sul, onde o projeto conta com o apoio do Sistema Farsul.

Lançamento dos resultados dos Ensaios de Cultivares em Rede de Soja – Safra 2014/2015:
Data: 20 de agosto de 2015
Horário: 14 horas
Local: Sindicato Rural de Passo Fundo (RS) – Av. Brasil Oeste, 1185 – Bairro Boqueirão
Informações: (54) 3314 8983 ou comunicação@fundacaoprosementes.com.br

Programação:
14h: Abertura
14h30min: Apresentação dos resultados dos Ensaios de Cultivares em Rede de soja da safra 2014/2015 – Victor Sommer (Coordenador da Unidade de Cultivos de Verão da Fundação Pró-Sementes)
15h30mim: Coffee Break
16h: Análise e Perspectivas para o Mercado de Soja – Antônio da Luz (Economista-Chefe do Sistema Farsul)

← Soja inicia semana com leves altas em Chicago Soja volta a cair em Chicago nesta 6ª feira com mercado buscando se ajustar - Análise Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui