Área de Produção Animal da Unicruz tem forte presença na XIV Fenatrigo | Agrocampo | Notícias do campo, agricultura, agronegócio, tecnologias, cadeias produtivas, produção agrícola e o fortalecimento do setor no mercado

Área de Produção Animal da Unicruz tem forte presença na XIV Fenatrigo

Área de Produção Animal da Unicruz tem forte presença na XIV Fenatrigo

Pertencente ao projeto da Fazenda Escola da Universidade de Cruz Alta, a Área de Produção Animal possui um espaço para atividades de ensino, pesquisa e extensão através da realização de aulas práticas, oficinas de capacitação, eventos técnicos para comunidade e condução de experimentos.

A área possui um ambiente de pastagens nativas, pastagens nativas melhoradas e pastagens cultivadas de inverno e verão nos mais de 60 hectares de expansão, utilizados para o manejo dos rebanhos bovino, ovino e equino da instituição.

O objetivo é incentivar o desenvolvimento regional e a sustentabilidade do setor agropecuário, através do estudo de estratégias que viabilizem a intensificação dos sistemas de integração lavoura-pecuária. A equipe técnica responsável pela área de produção animal é composta pelos professores Luiz Felipe Kruel Borges, Lucas Carvalho Siqueira, Daniele Furian Araldi e Vanessa Oliveira de Freitas, alunos e colaboradores da instituição.

Hoje começa a XIV FENATRIGO

Expectativas da área de produção animal para a XIV Fenatrigo

Além de marcar forte presença na feira, estará também diante da organização do III Fórum de Produção Pecuária Corte – onde a equipe técnica irá apresentar os resultados de trabalhos conduzidos em 2017 -, na apresentação de animais com a Cabanha Unicruz, na participação dos eventos técnicos e nas comissões agropecuárias.

Entre os dias 27 de setembro a 1º de outubro, a área de produção animal apresentará dois importantes projetos durante a Fenatrigo. O primeiro deles, Desempenho de novilhos confinados com dietas alto grão, avalia parâmetros como ganho de peso, consumo, conversão e eficiência alimentar, comportamento ingestivo através do uso de coleiras de monitoramento, características de carcaça e viabilidade econômica do sistema.

Governo francês proibirá totalmente uso do glifosato

E o segundo, Sistemas de acasalamento sobre pastagem de inverno para bovinos de corte no RS, monitora o ganho de peso, escore corporal, taxas reprodutivas de novilhas que serão acasaladas com protocolos de IATF aos 14 e aos 24 meses de idade.

Acompanhe a Revista Agrocampo
Inscreva-se em nosso canal YOUTUBE
Siga no INSTAGRAM
Siga no TWITTER

← Quanto leite devemos dar as bezerras? O manejo de doenças de milho contribui para a melhor qualidade de silagem e maior produtividade de leite e de grãos →

Deixe seu comentário aqui