Soja: Mercado em Chicago ensaia ligeira recuperação nesta 5ª feira, mas mantém estabilidade

Soja: Mercado em Chicago ensaia ligeira recuperação nesta 5ª feira, mas mantém estabilidade
cotações da sojaPor: . Nesta quinta-feira (10), os futuros da soja operam com ligeira alta na Bolsa de Chicago, ensaiando uma recuperação após as baixas da sessão anterior. Por volta das 7h50 (horário de Brasília), as cotações subiam entre 2,50 e 3 pontos nos principais vencimentos, com o contrato novembro/15 valendo US$ 8,75 por bushel; já o maio/16, referência para a nova safra brasileira valia US$ 8,83.

Os negócios vêm testando os dois lados da tabela nos últimos dias, buscando um equilíbrio antes da divulgação dos novos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), que chegam nesta sexta-feira, 11 de setembro, e que devem ser, segundo acreditam os analistas, um direcionador para os preços.

Entretanto, como explicou o consultor Flávio França Jr., da França Junior Consultoria, não se pode ainda descartar a influência do financeiro e, nesta quinta, após dois dias consecutivos de ganhos, as ações asiáticas voltaram a recuar.

Veja como fechou o mercado nesta quarta-feira:
Soja fecha o dia em queda no Brasil, mas câmbio ainda pode trazer novas oportunidades

O mercado internacional da soja fechou a sessão desta quarta-feira (9) em campo negativo, com baixas de até 8 pontos entre os principais vencimentos negociados na Bolsa de Chicago. Um perfil construído com as perspectivas de uma grande safra vinda dos Estados Unidos ao lado de um mercado financeiro ainda muito incerto segue como o principal fator de pressão sobre as cotações, como explica o consultor de mercado da França Junior Consultoria, Flávio França Jr.

No Brasil, o dia foi de um mercado sem uma direção bem definida. Enquanto as cotações exibiram um ligeiro recuo nos portos, no interior do país, os preços trabalharam com valorizações em algumas praças de comercialização, de acordo com um levantamento feito pelo Notícias Agrícolas junto às cooperativas e aos sindicatos rurais. O foco para a formação dos preços continua sendo a taxa cambial.

Nesta quinta, a divisa terminou o dia com 0,51% a R$ 3,7994, após bater na mínima do dia em R$ 3,7671. De acordo com informações da Reuters, no acumulado do mês até agora, o dólar ainda acumula alta de 4,75% e, no ano, de 42,9 %.

Fonte: Notícias Agrícolas

← Exportações: mercados em negociação têm potencial de US$ 1,95 bi ao ano Soja opera em campo positivo na Bolsa de Chicago, porém, próxima da estabilidade nesta 4ª - Via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui