Soja: Em busca de um ponto de equilíbrio, mercado estável nesta 4ª feira em Chicago – Análise Notícias Agrícolas

Soja: Em busca de um ponto de equilíbrio, mercado estável nesta 4ª feira em Chicago – Análise Notícias Agrícolas
SOJA MERCADO FINANCEIROPor: . Na sessão desta quarta-feira (19), o mercado internacional da soja opera bem próximo da estabilidade. As cotações da oleaginosa, por volta das 7h50 (horário de Brasília), registravam ligeiros ganhos de pouco mais de 1 ponto nas posições mais negociadas após, na sessão anterior, fecharem com mais de 10 pontos de baixa.

Os traders, segundo explicam os analistas, seguem tentando encontrar um ponto de equilíbrio para o mercado e um bom posicionamento à espera da conclusão do desenvolvimento da nova safra dos Estados Unidos, das notícias que chegam sobre a economia chinesa e da demanda mundial pela commodity.

Veja como fechou o mercado nesta terça-feira:

Soja perde mais de 10 pts em Chicago e preços têm novas baixas nos portos do Brasil nesta 3ª

Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago fecharam a sessão desta terça-feira (18) em campo negativo e com baixas significativas. Durante todo o dia, as cotações testaram mínimas importantes e foram pressionadas não só por seus fundamentos, mas também por informações do mercado financeiro e por fatores técnicos, segundo explicaram analistas.

O mercado vem buscando se ajustar ao novo ambiente criado para os preços depois que, na semana passada, recebeu novos dados do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) sobre a safra 2015/16 do país que surpreenderam e também frente às medidas do governo chinês, que provocou uma desvalorização de sua moeda, gerando preocupações no cenário macroeconômico.

O consultor Vlamir Brandalizze, da Brandalizze Consulting, acredita ainda que essa forte queda registrada hoje também é reflexo de um movimento de liquidação técnica. E apesar da falta de uma tendência positiva nesse momento – com o inevitável impacto da nova safra norte-americana e das notícias vindas da China – Brandalizze afirma que o espaço para baixas ainda mais intensas, em sua opinião, é limitado.

“O contrato novembro, que é referência para a safra americana tem um suporte forte nos US$ 9,02 em Chicago e, quando ele testa esse patamar para baixo, há fortes movimentos de compra, principalmente por parte dos fundos de investimento”, explica. “E sempre teremos os especuladores negativos”, completa.

E foi justamente os US$ 9,02 a mínima desta terça-feira do contrato novembro/15, referência para a safra americana, que fechou o dia com US$ 9,06 por bushel, caindo mais de 12 pontos. Entre as demais posições negociadas, as baixas variaram entre 11,4 e 13,6 pontos.

Fonte: Notícias Agrícolas

← Vacinação contra aftosa atinge 98% do rebanho brasileiro na 1ª etapa da campanha Soja volta a recuar em Chicago pressionado pelo desenvolvimento da safra dos EUA - Análise Notícias Agrícolas →

Veja quem comentou

Deixe seu comentário aqui