Soja opera com ligeira queda em Chicago nesta 5ª feira com atenção ainda à América do Sul – via Notícias Agrícolas

Soja opera com ligeira queda em Chicago nesta 5ª feira com atenção ainda à América do Sul –  via Notícias Agrícolas

Posoja se recuperar: Carla Mendes. Os futuros da soja negociados na Bolsa de Chicago voltam a exibir ligeiras baixas na manhã desta quinta-feira (19) e, por volta de 8h (horário de Brasília), perdiam entre 1,25 a 4,25 pontos nos principais contratos. Assim, o março/17 era negociado a US$ 10,71 e o maio/17, referência para a safra do Brasil, a US$ 10,79 por bushel.

O mercado segue com todos os olhos voltados para o clima na América do Sul, principalmente a Argentina. As perdas em uma extensa área, após as cheias, são irreversíveis e a quebra na produção da oleaginosa deverá ser bastante severa. “É a precipitação que a soja demandaria em todo o seu ciclo”, diz o professor Telmo Amado, da Universidade Federal de Santa Maria em entrevista ao Notícias Agrícolas.
Ao mesmo tempo, há atenção ainda destinada à região do Matopiba, no Brasil, onde a situação da falta de chuvas também preocupa e onde algumas perdas, ainda que pontuais, começam a ser reportadas. É consenso entre os analistas e consultores, porém, que a safra brasileira não deverá se distanciar muito das projeções iniciais de mais de 100 milhões de toneladas.

>> Leia também: A importância no vigor das sementes

Paralelamente, o mercado se mostra atento ainda à questão macroeconômica, se preparando para a posse do novo presidente norte-americano Donald Trump, que acontece nesta sexta-feira, 20 de janeiro. O dólar está em foco e hoje, o dollar index já registrava uma pequena queda de 0,20% frente à uma cesta de outras moedas. A volatilidade, até que Trump comece a implementar e efetivar algumas medidas deve ser grande, segundo especialistas.

Por: Carla Mendes
← Soja: Mercado trabalha em queda nesta 6ª feira dividindo atenção entre Trump e Argentina - Via Notícias Agrícolas Soja: Mercado realiza lucros em Chicago, mas ainda de olho nas chuvas da Argentina - Via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui