Soja realiza lucros em Chicago nesta 4ª feira após máximas e ainda focado na intensidade da demanda – Via Notícias Agrícolas

Soja realiza lucros em Chicago nesta 4ª feira após máximas e ainda focado na intensidade da demanda – Via Notícias Agrícolas

cotações da sojaPor: Carla Mendes. Após registrar suas máximas em quatro meses, os futuros da soja na Bolsa de Chicago recuam ligeiramente na manhã desta quarta-feira (23), realizando lucros e perdendo pouco mais de 3 pontos entre os principais vencimentos. Assim, o contrato maio/17 – referência para a safra do Brasil – era cotado a US$ 10,42 por bushel.

O mercado internacional busca encontrar seu equilíbrio na sequência dos bons ganhos recentes e também frente ao feriado de amanhã, nos Estados Unidos, quando se comemora o dia de Ação de Graças e as bolsas norte-americanas não funcionam. No entanto, em nota, a consultoria internacional Benson Quinn Commodities afirma que, tradicionalmente, antes da data comemorativa, os preços da oleaginosa costumam encerrar seu pregão em campo positivo.

Apesar disso, os fundamentos seguem inalterados. A intensa e muito presente demanda chinesa ainda é o foco maior e principal dos traders, bem como destaque dos noticiários internacionais, entre as opiniões de analistas e consultores. A tendência, segundo eles, é de que esse quadro permaneça e siga atuando como pilar central de suporte das cotações, o que se estende além do grão para todo o complexo soja.

Ao mesmo tempo, há ainda a influência cada vez mais forte da movimentação – também muito positiva – dos futuros da soja, do farelo e do óleo negociados na Bolsa de Dalian, na nação asiática, sobre a movimentação das cotações em Chicago. Recentemente, os produtos vêm registrando preços recordes na bolsa de chinesa diante da falta de produto e do consumo crescente no país e região.

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas
← Com feriado de Ação de Graças nos EUA nesta 5ª feira, bolsas e Chicago e Nova York não operam - Via Notícias Agrícolas Soja tem nova sessão de altas em Chicago e renova as máximas em 1 mês nesta 3ª feira - Via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui