Soja trabalha com oscilações tímidas nesta 3ª feira em Chicago esperando novo reporte do USDA – Via Notícias Agrícolas

Soja trabalha com oscilações tímidas nesta 3ª feira em Chicago esperando novo reporte do USDA – Via Notícias Agrícolas

cotações da sojaPor: Carla Mendes. O mercado internacional da soja espera pelo novo reporte mensal de oferta e demanda que será reportado nesta terça-feira (12) pelo USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trabalhando com estabilidade na Bolsa de Chicago. As cotações da oleaginosa registravam oscilações pouco expressivas, com pequenas altas de 1 a 3,75 pontos. A exceção ficava por conta do vencimento novembro/16, referência para a nova safra americana, que perdia, por volta de 7h30 (horário de Brasília), 0,50 ponto, para ser cotado a US$ 10,54 por bushel.

Os traders realizaram lucros ao final do pregão de ontem já esperando, segundo explicam analistas, por números maiores da safra dos Estados Unidos, com uma revisão, principalmente, da produtividade. Os novos dados saem às 13h (Brasília). Ao mesmo tempo, porém, as informações sobre o clima no Corn Belt continuam dando direção aos preços e as últimas previsões indicam menos chuvas e temperaturas mais altas no intervalo dos próximos 6 a 14 dias.

Ainda sobre a nova temporada, o mercado acompanha o desenvolvimento das lavouras e, em seu reporte semanal, o USDA trouxe um aumento de um ponto percentual nas plantações de soja em boas ou excelentes condições no país, para 71% até o último domingo. Além disso, mostra que o índice de lavouras de soja em fase de florescimento passaram de 22% para 40%, contra 31% da média plurianual. Ainda sobre a oleaginosa, 7% dos campos estão na fase de formação de vagens, também acima da média, que é de 5% para esse período do ano.

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas
← Soja: Preços seguem em alta na Bolsa de Chicago e sobem mais de 15 pts nessa manhã de 4ª feira - via Notícias Agrícolas Soja tem altas de dois dígitos nesta 2ª feira em Chicago com correção e menos chuvas nos EUA - Via Notícias Agrícolas →

Deixe seu comentário aqui