Soluções inteligentes são alavancas para o futuro da armazenagem

Soluções inteligentes são alavancas para o futuro da armazenagem

O agronegócio é um dos setores mais representativos para a economia brasileira e, ano após ano, aumenta seus índices de produção. Prova disso é que a próxima safra de soja está estimada em 114 milhões de toneladas e a de milho alcançará a marca de 94 milhões de toneladas. Os números são animadores, mas a cadeia logística brasileira apresenta entraves que diminuem a competitividade do produtor brasileiro, e a falta de investimentos em armazenagem é um destes fortes obstáculos.

Podemos considerar, por exemplo, que os americanos lucram 16% a mais pelo mesmo produto e essa disparidade só diminuirá com investimentos na cadeia agrícola e principalmente na armazenagem. Os benefícios se estendem desde a melhora do grão, ganhos financeiros e independência na busca pelo momento mais adequado para venda da produção.

Para alcançar todos esses benefícios, é importante que o sistema de armazenagem amplie suas linhas, trazendo o melhor aproveitamento de todo o potencial da safra agrícola, fortalecendo seu conceito de armazenagem inteligente.

Esse conceito oferece ao cliente as melhores soluções para obter o máximo de seus negócios e garantir melhores resultados na armazenagem de grãos. Cada setor da unidade de armazenagem tem o propósito de valorizar a produção nos processos de pós-colheita, aumentando a rentabilidade no momento da comercialização.

Cada etapa é concebida de maneira a agilizar os processos e otimizar seus resultados, trago algumas delas para termos um conhecimento mais aprofundado:

– A utilização do TCRC (Transportadores de Corrente Combinado) tornou possível reduzir as escavações e retirar os grãos mais rapidamente, o que diminui custos de construção e traz maior agilidade no processo de recebimento dos grãos;

– Os silos elevados para a segregação de grãos – que chegam da lavoura em diferentes condições, umidade e teor de impurezas – permite a racionalização dos processos posteriores, como a secagem;

– A avançada tecnologia de pré-limpeza é fundamental para se trabalhar dentro dos limites seguros de teor de impurezas;

– O ganho de eficiência energética na secagem de alto rendimento é o processo que apresenta maior influência na rentabilidade e qualidade dos grãos na unidade de beneficiamento;

– O uso racional de combustível e segurança na secagem através de fornalhas com alimentação mecanizada contribui significativamente para a melhor eficiência dos equipamentos;

– A separação de impurezas dos grãos quebrados após a secagem, proporcionando a condição ideal para armazenagem.

Aliado a isso, os grãos devem ser armazenados com segurança. Confiar no sistema de armazenagem e adotar corretas práticas de sua gestão somente são possíveis se empresas reconhecidas e de credibilidade no mercado forem as responsáveis por tais processos.

Olivier Colas

Vice-presidente da Kepler Weber

Diagnóstico mostrará como reduzir perdas e elevar qualidade da soja brasileira →

Deixe seu comentário aqui