Vinhos finos da região de Farroupilha agora tem Indicação Geográfica

Vinhos finos da região de Farroupilha agora tem Indicação Geográfica

farroupilha vinhosOs vinhos finos moscatéis produzidos no município de Farroupilha (RS) receberam esta semana a concessão do registro de Indicação Geográfica (IG), publicado pelo Instituto Nacional da Propriedade Industrial (Inpi). O pedido de reconhecimento do vinho produzido na região da Serra Gaúcha foi protocolado há cerca de um ano pela Associação Farroupilhense de Produtores de Vinhos, Espumantes, Sucos e Derivados (Afavin). O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), por meio da Embrapa Uva e Vinho, coordenou o projeto que resultou na obtenção de Indicação Geográfica.

A solicitação formal do reconhecimento exigiu um detalhado dossiê com a delimitação geográfica, a caracterização da vitivinicultura (vinhedos e vinícolas), os processos de produção e as características de qualidade química e sensorial dos vinhos, incluindo a comprovação do renome da região como produtora de vinhos moscatéis finos.

Para poder colocar no mercado vinhos com a IG Farroupilha, além de estar na área delimitada, os produtores deverão atender aos criteriosos processos de produção e de elaboração dos vinhos, segundo o estabelecido no Regulamento de Uso desenvolvido especialmente para os vinhos da IG Farroupilha.

O registro de Indicação Geográfica é atribuído a produtos ou serviços que são característicos de um determinado local de origem. São produtos que apresentam uma qualidade única devido a recursos naturais como solo, vegetação, clima e recursos humanos, como o conhecimento para produzi-lo (saber fazer ou know-how).

Afavin

As atividades para busca da indicação geográfica começaram em 2005, com a criação da Afavin. Na sequência, diversas ações foram desenvolvidas, mas a iniciativa ganhou força em 2009, com a aprovação de projeto de Desenvolvimento e Estruturação da Indicação Geográfica, sob a coordenação da Embrapa Uva e Vinho, tendo como instituições parceiras a Embrapa Clima Temperado, a Universidade de Caxias do Sul e a Universidade Federal do Rio Grande do Sul, em trabalho conjunto com os produtores associados da Afavin.

O projeto também conta com o apoio do Mapa e da Prefeitura Municipal de Farroupilha. O Ministério da Agricultura é uma das instituições de fomento das atividades e ações para Indicação Geográfica de produtos agropecuários.

De acordo com o secretário de Desenvolvimento Agropecuário e Cooperativismo do Mapa, Caio Rocha, a concessão de indicação geográfica traz inúmeros benefícios aos produtores e consumidores: “Por meio da IG, teremos no mercado vinhos moscatéis espumantes e frisantes que expressam a originalidade da produção da região, proporcionando ao consumidor um produto diferenciado.”

Com a IP Farroupilha, o Brasil passa a ter cinco Indicações Geográficas de Vinhos Finos: IP Vale dos Vinhedos (2002) – DO em 2012, IP Pinto Bandeira (2010), IP Altos Montes (2012), IP Monte Belo (2013) e IP Farroupilha (2015). Todas receberam apoio técnico-científico da Embrapa Uva e Vinho para a sua estruturação.

← Sobrevivência de percevejos na entressafra de soja e milho Balança comercial: China é o principal destino das exportações brasileiras do agronegócio no 1º semestre →

Deixe seu comentário aqui